© Copyright - 2017

January 26, 2017

Please reload

Posts Recentes

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Em Destaque

Doria X Lula X Bolsonaro

October 5, 2017

O cenário ainda é imponderável e analistas com suas previsões para a eleição presidencial de 2018 estão praticando nada mais do que um exercício de futurologia. Variáveis políticas e jurídicas se somaram à dinâmica eleitoral que antecede o pleito e ninguém, por maior que seja sua convicção, pode prever o que vai acontecer.

Há, porém, poderosos insights a serem extraídos das redes sociais observando criteriosamente os principais pré-candidatos de hoje. Vamos a eles:

 

QUEM DOMINOU AS REDES SOCIAIS EM SETEMBRO?

 

Se não podemos prever resultados, temos meios para entender a cabeça do eleitor e suas expectativas para um novo presidente. Não apenas no Brasil, como em diversos países no mundo, um conceito é escancarado de forma bastante óbvia: chegamos ao fim da Era das Platitudes. O discurso vazio, óbvio e a inércia hoje irritam e afastam de forma definitiva o eleitor. Aecio Neves, mesmo antes da Lava-Jato, foi o exemplo mais emblemático destas bandas, torrando 50 milhões de votos em alguns meses de pasmaceira em uma país efervescente. Mas isso é tema para um novo artigo. Vamos voltar aos nossos pré-candidatos.

Vejam o gráfico de interações totais nas Páginas do Facebook de Lula, Bolsonaro e Doria em setembro:

 

Sim, com 4,6 milhões de interações totais, Jair Bolsonaro teve um desempenho muito superior a João Doria e Lula em setembro, no Facebook. Este número é ainda mais expressivo quando verificamos que o Deputado que está de malas prontas para o PEN/Patriotas foi o que menos publicações realizou no período:

Ou seja, mesmo com quase dobro de publicações , Lula ficou em um empate técnico com Doria no engajamento total e amarga um último lugar quando analisamos engajamento/publicação:

Para começarmos a entender este desempenho, vamos detalhar de onde vem esses números, conferindo as principais publicações de cada um deles no período. Mesmo figurando em 2º no lugar no ranking de interações, João Doria teve a publicação de maior engajamento do período, fazendo uma crítica às recentes exposições polêmicas que reverberaram muito nas redes sociais.

 

Jair Bolsonaro, no mesmo tema, fez um ataque inusitado, usando um antigo vídeo do falecido deputado Enéas Carneiro.

 

 Lula, por sua, vez, apresenta como principal publicação do período, uma pesquisa onde ele figura em 1º lugar na intenção dos votos para corrida presidencial 2018.

 

 

 

 

OK. E DAÍ?

 

Com Doria e Bolsonaro se apropriando de temas atuais e sensíveis à grande parte do eleitorado, os dois pré-candidatos mostram estar alinhados às expectativas da população, tanto no posicionamento em relação aos episódios quanto na clareza de suas opiniões.

Em qualquer mídias, os motivos para amá-los ou odiá-los estão ali, explícitos. Ninguém suporta mais políticos em cima do muro. Lembrem-se: chegamos ao fim da Era das Platitudes.

 

 

O MITO

 

Jair Bolsonaro é talvez o maior fenômeno político da era das redes sociais. Um político até então inexpressivo, o aclamado mito conseguiu nas redes o ambiente ideal para reverberar suas posições explosivas. Mas não se engane. O homem estava na hora e lugar certos. Com a falência do governo petista e os muitos escândalos de corrupção, Jair Bolsonaro surge como esperança a um povo descrente. O "me chama de corrupto" não é apenas o mantra de seus fieis seguidores. E o desafio de toda uma nação. 

Se as chances do capitão de chegar à presidência são reais, é impossível prever.

Mas ignorar os motivos de seu estrondoso sucesso é um erro fatal.

 

 O GESTOR

 

Você pode não gostar de João Doria, mas negar a transformação provocada pelos seus nove meses de gestão é viver no mundo da fantasia. O empresário quebrou paradigmas como o do político preguiçoso publicando ao vivo seu insano horário de trabalho, desafiou os pessimistas atingindo em tempo recorde audaciosas metas de campanha e manteve muito clara sua posição contrária à esquerda brasileira. sem papas na língua ou eufemismos. Nas redes e nas ruas. A interseção de motivos no sucesso de Doria e Bolsonaro não pode ser ignorada. Lembre-se: entramos na Era da Legitimidade.

 

A VÍTIMA

 

O ex-heroi, pai dos pobres, mudou o discurso. Agora, vítima das elites financeiras, políticas e jurídicas do país aposta todas as suas fichas na teoria do complô. Todos contra ele. Todos contra um "nós"cada vez mais escasso.

Lula prega para convertidos. Seu conteúdo é hermético e, ao que parece, tem o único intuito de manter a militância ativa até a eleição.  No atual momento, Lula joga para perder de pouco.

CONCLUSÕES

 

A liderança de Jair Bolsonaro nas redes sociais é inquestionável. Apesar disso, há outros elementos a serem considerados. Dos três pré-candidatos, João Doria é o que apresenta conteúdo mais pragmático. Fala de suas ações de mandato, muitas vezes impopulares e ainda não trabalha os gatilhos emocionais clássicos de uma campanha e que já estão presentes na linha editorial de seus eventuais adversários. Doria tem o que os jogadores de poker chamam de implied odds, algo como chances ocultas que podem ou não aparecer na hora certa.

 

 

A imprevisibilidade do momento demanda mais ação, inteligência e análise. Um novo eleitor surgiu. Decepcionado, rancoroso, desiludido. Entender suas motivações é uma velha necessidade com novos métodos. Dominar o ambiente digital pode - e será - a diferença entre vitória e derrota.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Procurar por tags
Please reload

Arquivo
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Marqueteiro, palestrante e um cara que acha que Marketing Político Digital é feito para ganhar eleição e não se livrar da obrigação de estar presente nas redes sociais.

abel lumer

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White Instagram Icon